Total de visualizações de página

domingo, 2 de abril de 2017

No Auge da Carreira: Demissão! O que Fazer Agora?

.
.
Amigos, boa tarde.

Hoje a postagem será um pouco diferente, e não será feita diretamente por mim, na verdade apenas parte dela.

Recebi este comentário de um leitor do blog, numa das postagens anteriores, e decidi não apenas responder, mas gerar um tópico para isto, para tentar ajudar, de alguma forma, nosso amigo “M. M.” que nos relatou abaixo um pouco do que tem vivido.
.
.
O que eu espero com este texto é buscar dicas dos amigos e conselhos, para ajudar nosso amigo.

O que eu posso dizer agora é: Não se entregue M. M.. Às vezes Deus escreve certo por linhas tortas, e você há de vencer, só esta passando por uma fase de turbulência.

Ao final do texto, comentarei minhas dicas, nos comentários aliás, como os demais leitores.
.
.
Vamos ao comentário do amigo M. M.:


“Grande VDC, tenho muito apreço por você e pelo seu blog, é um dos caras mais sensacionais, sincero, íntegro e atenciosos da blogosfera.

Não se deixe desanimar pelos haters, pois, se você desistir do blog, será mais uma vitória desses imbecis, já que outros grandes blogueiros já desistiram devido a ameaças e críticas.

Não fraqueje, não se deixe influenciar pela energia negativa deles.

No mais, tenho uma história de vida para te contar...

Também tenho 30 anos, sempre sonhei em fazer carreira em uma grande empresa.

Aos 18 entrei no estágio, fui contratado aos 19 como auxiliar, aos 22 virei assistente, 25 analista e 27 coordenador.

Estava me realizando como profissional e pessoa, liderava mais de 50 pessoas, ótimo ambiente de trabalho e salário.

Minha vida estava de vento em poupa, todos os sonhos materiais e pessoais se realizando, metas organizacionais sendo superadas, elogios dos gestores e diretores.

Quando, sem mais sem menos, fui demitido.

Fiquei sem chão, sem saber o que fazer da vida.

Na verdade estou assim até hoje, aconteceu comigo isso em janeiro, os "amigos" da empresa nunca ligaram para saber e a única coisa que me faz ser firme são meu filho e esposa. Pessoas essas que, se não tivesse o apoio estaria numa depressão profunda.

São mil coisas que passam pela cabeça, parece um pesadelo sem fim...

Tenho meus investimentos que me seguram bons anos até sem trabalhar, mas a dor do desemprego e da desocupação é enorme, nunca imaginei que me sentiria inútil.

Agora lhe pergunto, o que você faria se ficasse desempregado hoje? Qual o rumo tomaria na vida?

Quando as coisas parecem que estão a mil maravilhas, vem uma tempestade e destrói tudo.

Desculpe o texto longo e sem parágrafos, é que estou digitando do tablet.

Já pensou em concursos ou empreender?

Abraços e em próximas oportunidades, continuo a reflexão.

Assinado: M. M.
.
.
...
..
.

Amigos, agora é com vocês! Neste texto, eu sou mais um para tentar ajudar nosso amigo “M. M.”.

Não é fácil.
.
.
Mas, não pode desanimar.

O objetivo deste tópico e refletirmos e buscarmos ajudar nosso colega, onde eu, como vocês, postarei dicas nos comentários para auxiliar nosso colega M.M..

M.M. o que eu posso dizer no momento: É hora de pensar "No que eu sou realmente bom? O que eu posso ofertar e agregar para uma nova empresa"?.

Ou mesmo, "será que não é hora de empreender? Planejar?"

Força amigo!
.
.
A Luta Continua ... Não desanima!


VPAA – VIVER PARA AJUDAR OS AMIGOS

16 comentários:

  1. Tenta ingressar em outra multinacional já que você tem experiência e se sente realizado.

    ResponderExcluir
  2. M.M. busque energia na família, não se abale pelo acontecimento. A culpa não é sua. Procure primeiramente na sua rede de contatos alguém que possa te ajudar com uma oportunidade, se não tiver não se preocupe, afinal você fez investimentos para suportar esse período. Não seja tão exigente quanto a posição no próximo emprego, talvez deva iniciar novamente do zero em uma nova empresa, mas o importante é permanecer em contato com sua área de trabalho. Encare a busca por emprego como sua nova jornada de trabalho (temporária). O tempo se encarregará de resolver esse problema para você, só se preocupe com estar sempre com a autoestima elevada (atividade física e meditação ajudam com isso).

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Eu vou falar o que vi na minha empresa, desde o ano passado: Alguns caras de cargo mais alto muito BONS de serviço foram dispensados. Motivo? Poupar mais gente, visto que ganhavam mais.

    Não tem jeito ... Agora é hora de ver o que poderia melhorar o currículo e que realmente agregue. Exemplo: Um mês de curso nos EUA. Valeria a pena?

    Buscar contato com os fornecedores da antiga empresa, (network), pra buscar novas posições.

    Não sei sua cidade, mas talvez São Paulo possa ser o caminho. Acho que ainda é a cidade com mais oportunidades.

    Dê mais detalhes que vamos tentando ajudar aqui.

    Abração

    ResponderExcluir
  4. O que eu faria tendo ou não reserva? Buscaria outro emprego. O que mais tem a se fazer?

    Empreender ou estudar pra concurso (ainda mais neste momento que o Brasil enfrenta) como alternativa por ter ficado desempregado quase nunca é a melhor escolha, visto que ambas exigem extremo esforco, recursos e um ambiente favorável.

    Mesmo que aceite uma remuneração menor, pegue e continue buscando algo melhor. Eu faria isso.

    ResponderExcluir
  5. Essa situação é um exemplo de que não devemos nos apegar muito a empregos, cargos e status.
    Carreira profissional também é isso, vem uma crise e coloca um ponto final em uma estrada de anos.
    Acho importante ocupar a cabeça, com plano para o futuro ou até outras atividades que nada tem haver com trabalho para esquecer de possíveis mágoas que restaram.
    Veja o exemplo dos mais velhos. Você deve conhecer algum aposentado na sua família ou algum vizinho etc. Veja o que sobrou do passado de trabalho deles, de suas antigas carreiras ou empregos. Pelo que ví e vejo pouco ou nada resta das antigas "amizades".
    Conheço pessoas que trabalharam de 15 a mais de 25 anos na mesma empresa e o que vejo é que sobraram poucos contatos, dificilmente mais que 3.
    Com relação aos "amigos" digo que sua situação é comum. As vezes não ligamos também pros outros quando acontece alguma coisa, não é verdade? O negócio é colocar a cabeça no lugar.
    Cuide da sua saúde e se puder escolher busque algo que agregue mais a sua vida do que apenas salário. Empreender pode ser uma alternativa desde que você saiba bem o que está fazendo.
    Caso contrário busque empregos considerando a possibilidade de ganhar menos.
    Inicie uma atividade física, considere voltar a estudar. E tenha paciência.

    Aproveito para lembrar aos integrantes da finasfera o blogueiro Pobre Catarrento. Ele é um da velha guarda da finasfera e deu uma sumida de um tempo pra cá. O blog continua ativo mas ele não posta nem comenta em outros blogs.
    Não custa nada perguntar se está tudo ok.

    ResponderExcluir
  6. Situação complicada, mas bola pra frente!!

    ResponderExcluir
  7. Acho que o leitor está melhor que muita gente!! segundo ele tem investimentos que garantem a manutenção da família por um tempo. Talvez essa notícia triste seja uma oportunidade de ter um negócio próprio! Concursos acho que a tendência é diminuir, ainda mais com essa aprovação da terceirização. Abraço Construtor!

    ResponderExcluir
  8. O bom é que ele já tinha reserva. Se não tivesse estava fumado.
    Primeira providência:
    Melhorar o currículo no linkedin e dar uma tunada nele.

    depois: avisar pra TODOS os amigos, parentes e conhecidos que está desempregado. SIM!
    Tem gente que tem vergonha de dizer, mas é melhor dizer logo pois algumas pessoas podem lhe ajudar e arrumar algo pra vc.

    Colocar o currículo no Catho e se candidatar onde tiver vagas.
    Buscar ATIVAMENTE novas empresas e empregos na internet e nos jornais de papel da sua cidade.
    Conversar com amigos do colégio, da faculdade e da área em que trbalhava pra saber se estão precisando de alguém.

    Buscar melhorar o currículo com inglês e cursos rápidos até conseguir emprego.

    ResponderExcluir
  9. Não sei em que ramo o colega trabalha, mas o ponto é buscar emprego o mais rápido possível. Momento de procurar outro emprego é EMPREGADO, nunca desempregado. Mesmo que aceite algo menos glamuroso no início, não compromete tanto o fluxo de caixa.

    ResponderExcluir
  10. Eu penso justamente na contramão. Dependendo dá área de formação vale muito apena estudar para concursos. Se o Brasil está em crise agora e não há previsão de concursos no curto prazo, melhor ainda, afinal, terá tempo para se preparar e ficar no nível dos demais.

    ResponderExcluir
  11. Sua vida não é seu emprego! Como existiu esse lugar bom terá outros por ai esperando você. Eu falo que gosto de gente, das pessoas q trabalham comigo,você achará outras.

    ResponderExcluir
  12. Lamento pela perda do emprego M. M.

    A sua situação ilustra bem algo que sempre penso: as empresas sempre querem funcionários com espírito de dono e que coloquem a empresa acima de tudo. Até o momento q vc não serve mais e, tchau, acabou, a empresa não se importa nem um pouco com vc.

    Ou seja, só queria reforçar que não é para se sentir mal ou inútil. E não deve sentir que a empresa é a sua vida (a não ser q vc seja o dono hehehe), ela é apenas um meio de vc ganhar dinheiro.

    Como sugestões, vou na mesma linha do Frugal Simple, que deu excelentes dicas:

    * Atualizar o CV do LinkedIn, colocando informações que importam: cargo, projetos que realizou, ganhos que o projeto trouxe pra empresa.

    *Buscar as vagas no LinkedIn, Vagas.com, Catho, Love Mondays. Aqui vale tanto para cargos mais baixos como mais altos. Normalmente vemos vagas de até Gerentes nestes sites. Então se vc é até Gerente, vá se candidatando nas vagas que estão no seu perfil. Se vc já for de um Gerente Executivo pra cima (Diretor e etc), surgem algumas vagas, mas bem menos. Porém, ao movimentar o seu LinkedIn e se inscrever em algumas vagas, o seu CV volta a circular no mercado... Pra esses casos, muitas vezes vc terá que contar com uma consultoria de RH, pois essas vagas são mais fechadas... O problema é a grana envolvida (5k a 15k + o 1o salário), mas se vc era um Diretor, isso não pesará muito...

    *Ative a sua rede e diga que está buscando novas oportunidades. Realmente o network pode ajudar muito.

    *Por fim, aproveite o tempo para incrementar o seu CV com cursos. A plataforma EDX, por exemplo, oferece cursos de Harvard, MIT, Berkeley, Oxford e etc e vc pode pegar um certificado de conclusão do curso (entre 50 e 150 dólares o certificado, mas pode fazer o curso de graça se quiser)

    Portanto, não é hora de se desesperar. Se vc conhece o seu potencial, fique tranquilo, ative a rede de contatos, se inscreva nas vagas e faça os cursos. Isso ocupará a sua mente e, logo logo, vc já estará fazendo entrevistas.

    ResponderExcluir
  13. Caro M.M.

    passei por essa situação em março de 2015. Tinha mudado de emprego 3 anos antes, com um aumento salarial de quase 40% e um desafio profissional muito legal. 3 anos depois, em meio a uma reestruturação, a empresa extinguiu a divisão pela qual eu era responsável e fui demitido. Ainda consegui negociar um pacote bom de saída: pagaram minha mudança de volta (tinha mudado para o Centro Oeste), e tive acesso a 6 meses de uma consultoria de outplacement.

    O que fiz? No primeiro dia de desemprego já estava procurando uma posição nova. No meio tempo, fiz algo que queria tentar já há muito tempo: fui atrás de projetos em que pudesse dar consultoria. Conheci um monte de gente, vários negócios diferentes, foi genial. Não ganhei muito em termos de grana, mas os contatos que fiz me ajudam até hoje.

    Aprendi uma coisa muito importante nesse processo: você é capaz de muito mais do que imagina. Ser demitido não é o fim do mundo, muito pelo contrário, pode ser o começo de uma nova fase muito melhor. Mas você tem que aprender a acreditar em você e enxergar o valor que você tem a oferecer.

    Nesse processo, com a ajuda da consultoria de outplacement, decidi que não ia buscar recolocação no mesmo nível (já era gerente sênior); decidi que ia atrás de uma posição de diretoria. Muita gente me chamou de doido, arrogante, etc. Mas o fato é que, olhando para tudo que eu sabia e tinha feito, dava para ver que eu poderia sim ocupar um cargo mais alto.

    Moral da história: depois de apenas 4 meses consegui uma posição de diretor em uma empresa bem menor do que a em que eu tinha trabalhado antes, mas onde eu tenho muito mais autonomia e autoridade. E consegui isso com um salário 15% maior do que o que tinha quando fui demitido. Tenho menos benefícios, um pouco mais de grana, mas mais realização e exposição. Para mim o tradeoff foi ótimo!

    Então, meu caro M.M., não se deixe abater. Bola pra frente, motivação e crença em você mesmo! Tenho certeza que você olhará para traz um dia e dirá "ser mandado embora foi a melhor coisa que podia me acontecer!".

    ResponderExcluir
  14. VDC,

    É complicado ... nenhum de nós da iniciativa privada está imune a esta situação ... e a gente paga pelos "maravilhosos politicos" q temos ...

    Negócio é não baixar a cabeça .. .e seguir em frente ... tenho visto que muita gente acha que ser empreendedor é o prox nível do empregado.. e acho que não necessariamente ... é preciso ter perfil pra isso ... a maioria das pessoas empreende pq quer ganhar mais ou pq nao consegue emprego de novo ... a 2a situação ok .. porém .. pra ganhar mais vc tem inúmeras outras opcoes ..

    Ser "dono" é bem complicado ... tenho amigos micro empresários e a vida deles, stress nao é nada tao simples por não "terem patrão"..

    Abs,

    ResponderExcluir
  15. Meu plano é pedir exoneração do serviço público e cuidar dos meus investimentos. Não me vejo num escritório por muitos anos e muitos anos. Prefiro correr na praia de manhã, cuidar dos investimentos de tarde e de noite ir à academia.

    Quem acha que a carreira corporativa engrandece acaba sofrendo mais nos momentos de demissão. Diferentemente de outro profissional que sonha em viver dos dividendos.

    Torço para os amigos que buscam trabalhar muito, mas vejo que para mim o caminho é vender opções fora do dinheiro para lucrar e viver bem. E tudo isso antes do milhão.

    ResponderExcluir
  16. Passo por um problema parecido.
    Tenho 21 anos e estou no sexto período de engenharia civil. Tenho conseguido estágio desde que sai do secundário e tenho aportado desde os 18. Entretanto há pouco tempo atrás sai da boa empresa que estava para fazer um intercâmbio de 1 ano em Portugal. Agora que voltei me deparei com um pais quebrado, pouquíssimas vagas na contrucao, a maioria das empresas não estão lançando a mais de 6 meses e sequer tem esperanca de lancar nesse semestre. Estou ja 8 meses sem trabalhar e me sinto da mesma forma, parece que todo meu esforco na area simplesmente sumiu, estou aceitando vaga até para servente. Pelo menos os meus aportes tem me mantido vivo mas ver tudo que juntei nesses anos ir sumindo nao é facil.

    Forca amigo!

    ResponderExcluir

Obrigado pela presença! Aprovarei rapidamente seu comentário e responderei brevemente! Grande abraço, VDC - Viver de Construção

Pesquisar no Blog ...

Postagens Populares